sábado, 6 de outubro de 2018

Toyota do Brasil abre inscrições para sétima edição do concurso Carro dos Sonhos

Vencedores concorrem a uma viagem ao Japão com direito a um acompanhante

Carro dos Sonhos Toyota

Já estão abertas as inscrições para a sétima edição do Carro dos Sonhos Toyota, concurso cultural e artístico que tem como principal objetivo estimular a criatividade de crianças e adolescentes entre quatro e 15 anos de idade. A ação visa ainda fortalecer o relacionamento entre a Toyota do Brasil, sua rede de concessionárias e as comunidades onde a fabricante possui unidades produtivas.

Para participar é necessário realizar um cadastro gratuito prévio pelo site http://toyotadreamcar.com.br/ até o dia 08 de fevereiro de 2019. O regulamento completo da competição e outras informações importantes podem ser consultados no mesmo endereço.

A Toyota preparou um vídeo aos interessados em participar com dicas para a formulação da ideia e preparo do desenho. Para assistir, clique aqui.

As últimas obras vencedoras da etapa nacional também podem ser consultadas pelo site do concurso.

Carro dos Sonhos Toyota
Conforme determina o regulamento, os participantes do concurso Carro dos Sonhos Toyota são separados em três categorias em todo o mundo: de quatro a sete anos, de oito a 11 anos e de 12 a 15 anos.

A competição é dividida basicamente em quatro fases. Na primeira delas, após a inscrição, o candidato deve entregar seu desenho em qualquer concessionária da marca ou enviá-lo diretamente ao escritório comercial da fabricante, localizado em São Bernardo do Campo. Todas as orientações de entrega e envio também podem ser consultadas pelo site do concurso.

Posteriormente, todos os desenhos recebidos pela organização, dentro do prazo estipulado, passarão por uma triagem e seleção inicial de um comitê julgador. Na terceira etapa, um júri composto por executivos da Toyota do Brasil e especialistas em desenho seleciona três vencedores por categoria. Todos serão premiados com celulares, tablets, videogames, notebooks e câmera digital, variando de acordo com a categoria e a colocação do participante.

As nove obras selecionadas seguem para o Japão e lá participam de uma nova avaliação para a seleção de 30 finalistas globais (10 por categoria). Entre os membros da comissão julgadora estará Akio Toyoda, presidente da Toyota Motor Corporation.

Os finalistas de cada país ganharão, portanto, uma viagem ao Japão com direito a um acompanhante e despesas pagas pela Toyota. Todos visitarão a matriz da fabricante, em Tóquio, e participarão da cerimônia de premiação, prevista para acontecer no início do próximo ano.

Conquistas Brasileiras
A Toyota do Brasil já esteve no lugar mais alto do pódio durante a etapa mundial do concurso Carro dos Sonhos. Na edição 2016, a paulista Gabriele Castro de Sousa foi a vencedora, enquanto a guarulhense Victoria Oliveira foi a campeã da edição 2017. Ambas venceram pela categoria 12 a 15 anos.

Última edição
No final de agosto deste ano, a Toyota Motor Corporation realizou a 12ª cerimônia global de premiação do concurso Carro dos Sonhos. Foram cerca de 650 mil desenhos recebidos de 76 países em todo o mundo.

Para conhecer os desenhos vencedores em suas respectivas categorias, acesse https://www.toyota-global.com/events/dream_car_art_contest/newsroom/.
Fonte: Toyota

sábado, 15 de setembro de 2018

Lexus inova: câmeras no lugar dos espelhos dos retrovisores

A Toyota inova no seu próximo Lexus ES a ser lançado em outubro. No lugar dos retrovisores, câmeras especiais
Toyota Lexus ES

A Toyota Motor anunciou na quarta-feira (12) uma inovação para o lançamento do Lexus ES, no próximo mês. Se o cliente preferir pode pedir câmeras no lugar dos tradicionais retrovisores com espelhos.

A gigante informou que essa inovação para veículos produzidos em massa é inédita no mundo.

As câmeras são menores do que os retrovisores convencionais, portanto há vantagens. Segundo a montadora, aumenta o campo de visão frontal diagonal e também diminui o ruído do vento com o carro em alta velocidade.

Como funcionam essas câmeras
No lugar dos espelhos dos retrovisores laterais – direito e esquerdo – e também do traseiro, são instaladas câmeras.

As imagens são apresentadas em monitores no painel, proporcionando maior visibilidade.

As câmeras possuem forma que dificulta a aderência das gotas de chuva ou água. O motorista pode dirigir com conforto e segurança mesmo nos dias chuvosos e à noite. Isso porque a clareza e brilho das imagens no monitor são ajustadas automaticamente, de forma que fica fácil para o motorista visualizá-las.

Se quiser essa inovação basta pagar como opcional de luxo.

Segundo a montadora essa novidade para o exterior ainda não tem data programada. 
Fonte: Portal Mie com Sankei

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Japão: quase 70 mil idosos com mais de 100 anos

Na data em que se comemora o Dia do Respeito ao Idoso, o governo anunciou que a cada ano aumenta o número de centenários
Dia do Respeito ao Idoso

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar anunciou na sexta-feira (14) que o número de pessoas com idade igual ou superior a 1 século é de 69.785, em 1.º deste mês.

O ano de 2018 registra um marco histórico de centenários japoneses, em 48 anos. Só para ter uma ideia, em 1963 quando começaram as estatísticas, havia 153 idosos com mais de 100 anos.

Segundo o governo, a população centenária duplicou em comparação com 10 anos atrás. Estima que se deve ao progresso da medicina e à consciência sobre a saúde.

Mulheres são maioria dos centenários
As mulheres são maioria com 88%, no total de 61.454 pessoas. A mais longeva, com 115 anos, é Kane Tanaka, residente em Fukuoka (província homônima).

Dentre os do sexo masculino, é Shinzo Nonaka, da cidade de Ashoro (Hokkaido), com 113 anos.

As províncias com maior número de centenários são Shimane, Tottori e Kochi.

Em 15 de setembro se comemora o Dia do Respeito ao Idoso no Japão. Como este ano a data cai no sábado, o feriado foi transferido para segunda-feira (17). 
Fonte: Portal Mie com Nikkei e ANN

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Táxi automático estreia em Tóquio: inédito no mundo

A demonstração do táxi com condução automática, com passageiros, em ruas públicas ocorreu pela primeira vez no mundo
táxi com condução automática

A data de 27 de agosto, segunda-feira, é histórica no mercado de táxi, no mundo. Pela primeira vez um carro com direção automática transportou passageiros, em vias públicas de Tóquio. O experimento vai continuar diariamente, visando implementação até 2020.

Teve até corte de fitas para a inauguração da experiência. A parceria entre a empresa de táxi Hinomaru e uma especializada em automação, ZMP, permitiu o início do experimento.

O motorista sentou-se como de costume somente para o caso de ter que atender alguma alteração no trajeto. Mas não precisa fazer nada, apenas observar.

Uma família percorreu de um prédio em Otemachi até Roppongi. O trajeto em 5,3Km custou 1,5 mil ienes. Esse trajeto será operado 4 vezes ao dia no período experimental.

Em Yokohama (Kanagawa) já foi realizado um teste em março deste ano, sem passageiros.

O veículo da Hinomaru em teste é dotado de sensores e de sistema de direção automática.
Fonte: Portal Mie com JNN e Sankei

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Nagasaki marca 73 anos do bombardeio atômico

Os participantes fizeram um minuto de silêncio às 11h02, o momento exato que a cidade foi atingida pela bomba dos EUA
Nagasaki
Nagasaki marca 73 anos do bombardeio atômico de 1945 nesta quinta-feira (9). Uma cerimônia foi realizada às 10h no Parque da Paz.

O secretário-geral das Nações Unidas Antônio Guterres se tornará o primeiro chefe da organização a participar do evento. Ele se juntará aos sobreviventes da bomba atômica, familiares das vítimas e o primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe.

Os nomes de 3.511 hibakusha (pessoas afetadas pela explosão) que morreram o ano passado serão adicionados à lista das vítimas e colocados e um cenotáfio.

Às 11h02 os participantes fizeram um minuto de silêncio – o momento exato que a bomba foi jogada pelos EUA sobre a cidade em 9 de agosto de 1945.

Durante a cerimônia, Guterres fez um apelo para um mundo sem armas nucleares.

As Nações Unidas adotaram o Tratado de Proibição de Armas Nucleares em julho do ano passado.

Contudo, o tratado ainda precisa entrar em vigor, visto que nações nucleares e não nucleares estão divididas sobre a questão. E um esforço para o desarmamento nuclear também continua estagnado.

Na declaração de paz deste ano, o prefeito de Nagasaki, Tomihisa Taue, manifestou preocupação sobre os planos dos EUA de fortalecer seu arsenal nuclear. Além disso, ele pedirá por apoio para ratificar o tratado das Nações Unidas.
Fonte: Portal Mie com NHK

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Hiroshima: 73.º ano do dia da bomba atômica

Há 73 anos a cidade de Hiroshima foi bombardeada
Hiroshima

“Minha mãe ficou soterrada e partiu dessa forma, toda queimada. A maioria das pessoas não sabe dessa data”, disse uma vítima da bomba para a ANN, às 4h de segunda-feira (6).

Como ela, desde antes do sol nascer as pessoas uniam suas mãos no Memorial da Paz, em Hiroshima (província homônima), entre velas, incensos e flores. Foi nessa data, há 73 anos, que Hiroshima viveu o horror do bombardeio.

Hiroshima foi atacada pelos norte-americanos em 6 de agosto de 1945 e 3 dias depois foi Nagasaki. Com isso, em 15 do mesmo mês o Japão se rende e coloca um fim à Segunda Guerra Mundial.

As chamadas de 被爆者, lê-se hibakusha, são as vítimas sobreviventes da bomba atômica, que hoje têm idade média de 82 anos. A cada ano diminui o número de pessoas que amargaram essa experiência.

Este ano morreram 5.393 vítimas, cujos nomes foram acrescidos no memorial. Lá estão inscritos os nomes das 314.118 pessoas que perderam a vida no dia do horror. 

Para relembrar a importância da paz foi realizada uma cerimônia com a presença do Primeiro-Ministro Shinzo Abe e autoridades de 85 países, às 8h. E às 8h15, horário da bomba, foi oferecido um minuto de silêncio.

As autoridades e voluntários locais continuam se empenhando para um mundo sem guerra e pelo desarmamento nuclear no Planeta.
Fonte: Portal Mie com ANN e NHK

terça-feira, 17 de julho de 2018

Princesa Mako viaja ao Brasil

A princesa Mako viajou ao Brasil nesta terça-feira (17) para participar de cerimônias que marcam 110 anos da chegada dos primeiros japoneses ao país
Princesa Mako

A princesa Mako, neta mais velha do imperador Akihito, viajou ao Brasil nesta terça-feira (17) para participar de cerimônias que marcam 110 anos da chegada dos primeiros japoneses ao país, divulgou o Mainichi.

A princesa de 26 anos partiu do Aeroporto de Haneda em Tóquio e desembarcará no Rio de Janeiro na manhã de quarta-feira (18). Ela visitará 14 cidades em cinco estados e se encontrará com descendentes de japoneses. Seu retorno ao Japão está marcado para 31 de julho.

Em sua quarta viagem oficial ao exterior, a princesa visitará o Corcovado, onde está a estátua do Cristo Redentor, antes de viajar na quinta-feira ao Paraná, onde vivem muitos descendentes de japoneses.

No sábado, ela fará um discurso na cerimônia comemorativa em São Paulo, lar para a maior comunidade japonesa no país.

Em suas funções oficiais anteriores no exterior, ela visitou El Salvador e Honduras em novembro de 2015, o Paraguai em setembro de 2016 e Butão em junho de 2017.

Essa é a sua primeira viagem oficial ao exterior desde o dia em que a Agência da Casa Imperial anunciou o adiamento de seu casamento com Kei Komuro, também de 26 anos, até 2020, do inicialmente divulgado em novembro de 2018 devido a uma “falta de preparação”.
Fonte: Portal Mie com Mainichi

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Celebração dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil

A primeira vez que o navio Kasato Maru embarcou levando japoneses cheios de sonhos e esperança foi nesta data, há 110 anos
imigração do japão no brasil

Em 18 de junho de 1908 o navio Kasato Maru, com 781 japoneses, embarcou do Porto de Kobe com destino a Santos-SP, levando os primeiros imigrantes.

Foi o começo da imigração japonesa no Brasil, com pessoas cheias de sonhos e esperança de construir uma vida melhor do outro lado do mundo.

Se hoje a população nikkei é estimada em 1,9 milhão de descendentes foi graças aos pioneiros que se arriscaram a viver em um país tropical, sem conhecer nada da cultura local.

Ao chegarem no Brasil se depararam com a dura realidade do trabalho na lavoura, especialmente a do café. O sofrimento foi superado pela dignidade, essa que se vinculou durante as gerações seguintes.
 Kasato Maru
Contribuição da imigração japonesa no Brasil
O Brasil tem, portanto, a maior comunidade nikkei do mundo, com história dos 110 anos de imigração.

No Japão se comemora em 18 de junho o Dia da Imigração no Exterior, enquanto na sociedade brasileira vários eventos marcam a importante data.

Os japoneses contribuíram para o desenvolvimento da agricultura, para o cultivo dos valores humanos, religião budista, difusão do beisebol, culinária – sushi, yakisoba e sashimi – e também com os alimentos como caqui, pepino, berinjela, amendoim, entre outros. Além disso tudo, ainda no campo das artes, como o bonsai e artistas ilustres como Tomie Ohtake, Manabu Mabe, entre outros. A introdução das artes marciais como aikidô, sumô, kendo, judô, kiu-jitsu e caratê se deve aos japoneses.

Descendentes dos imigrantes
No Japão, a presença da maioria dos brasileiros se deve ao fato de serem descendentes, cuja abertura do visto especial se deu em 1990. A população verde amarela residente no arquipélago é de 185.967, segundo dados fechados em junho do ano passado.
Fonte: Portal Mie

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Universidade japonesa faz doação de 2 mil mangás à biblioteca da USP

A versão original de Dragon Ball é uma das atrações do novo acervo
Doação de 2 mil mangás à biblioteca da USP

A biblioteca do Centro de Estudos Japoneses Teiiti Suzuki, localizada na Casa de Cultura Japonesa da USP, recebeu uma doação de dois mil mangás da Universidade de Meiji, localizada em Tóquio.

No último dia 21, houve uma solenidade da formalização dessa parceria entre as duas instituições.

A versão original de Dragon Ball, um dos mangás mais famosos do Brasil, é uma das atrações do acervo recém-chegado à USP. Após serem catalogados, os mangás poderão ser consultados por todos os interessados.

Mangás são histórias em quadrinhos japoneses que receberam influência direta dos cartuns ocidentais e quadrinhos da Disney. O artista japonês Osamu Tezuka (1928-1989), com a obra Shin Takarajima (“A Nova Ilha do Tesouro”), de 1947, é considerado o criador desse tipo de quadrinhos.

No entanto, o termo tem uma origem mais antiga, no início do século 19, com os hokusai mangá, esquetes que traziam caricaturas e ilustrações sobre a cultura japonesa, produzidas pelo artista Katsushika Hokusa (1760-1849). A partir dos mangás foram surgindo também os animês, que são versões animadas das histórias em quadrinhos.

A Universidade de Meiji tem uma biblioteca com um grande acervo de mangás e por isso vem doando milhares de exemplares para instituições ligadas à cultura nipônica pelo mundo.

O primeiro contato da instituição japonesa com a USP se deu pelo fato de Masato Ninomiya, professor do Departamento de Direito Internacional da Faculdade de Direito (FD) da USP, doutor pela Universidade de Tóquio, ter lecionado e ser assessor especial da Universidade de Meiji.

Hoje, os mangás não servem apenas ao entretenimento. Eles também influenciam carreiras. O diretor do Centro de Estudos Japoneses da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, Wataru Kikuchi, destaca que a maioria dos alunos do curso de Letras que escolheram a habilitação em Japonês declarou ter feito essa opção em razão da familiaridade com os quadrinhos e animações nipônicos. “Eu fiz uma rápida ‘pesquisa’ com os ingressantes do curso: 60% dos alunos afirmam que optaram pelo curso de Japonês por interesse em mangás e animês.”

O interesse vai além da graduação e por isso essas doações têm sido de suma importância para a biblioteca, afirma Kikuchi. “O público interessado é grande e muitas vezes os alunos começam a estudar japonês porque querem aprender por mangá. E o mangá se tornou um objeto de pesquisa, tanto na iniciação científica como no mestrado e no doutorado. É um fator de atração e, por isso, essa doação da Universidade de Meiji é muito importante para a biblioteca.”

A Biblioteca Teiiti Suzuki também doará livros para Universidade Federal do Amazonas, que tem uma recente habilitação em Japonês em seu curso de Letras.

O Centro de Estudos Japoneses (CEJ) da USP foi fundado pelo professor Teiiti Suzuki em 18 de novembro de 1968 e, após a Reforma Universitária de 1970, foi remanejado para o Departamento de Linguística e Línguas Orientais da FFLCH. A partir de 1976 ele passou a ocupar as dependências da Casa de Cultura Japonesa, espaço cultural fundado pela Aliança Cultural Brasil-Japão na Cidade Universitária.

A construção da Casa de Cultura Japonesa contou com doações do governo japonês (Programa de Subvenções Especiais, Fundação Japão), Nippon Keidanren (Federação das Organizações Econômicas do Japão), Banpaku Kikin (Organização Comemorativa da Exposição Mundial de 1970), Nippon Usiminas e entidades e pessoas físicas e jurídicas do Brasil e do Japão. O espaço foi administrado pela Aliança Cultural Brasil-Japão por anos e depois pela organização não governamental Oisca. Em 2004, passou a ser mantida pela FFLCH.

A Biblioteca do Centro de Estudos Japoneses Teiiti Suzuki fica na Casa de Cultura Japonesa (Avenida Professor Lineu Prestes, 159, Cidade Universitária, em São Paulo-SP). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3091-2423 e pelos e-mails cejap.biblio@usp.br e cejap.biblio@gmail.com. O catálogo da biblioteca está disponível aqui.
Fonte: Alternativa

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Japão se prepara para a 1ª abdicação em mais de 200 anos

A abdicação será a primeira desde 1817, quando o imperador Kokaku abriu mão de seu título, meio século antes do início da Era Meiji, marcando o começo do processo de modernização do país
imperador Akihito

Faltando apenas um ano para a abdicação do imperador Akihito em 30 de abril de 2019, o Japão está intensificando as preparações.

A abdicação será a primeira desde 1817, quando o imperador Kokaku abriu mão de seu título, meio século antes do início da Era Meiji, marcando o começo do processo de modernização do país.

O governo criará um comitê de cerimônias relacionadas sob comando do gabinete logo no início deste outono em preparação para a abdicação, também a primeira desde 1947 quando a atual constituição do país entrou em vigor.

A abdicação do imperador será seguida pela ascensão do príncipe herdeiro Naruhito ao trono do Crisântemo em 1º de maio de 2019.

Até o dia da entronização de Naruhito, o nome da era será alterado do atual Heisei. O governo está se preparando para anunciar o novo nome no início de fevereiro do ano que vem.
Fonte: Portal Mie com Jiji