quarta-feira, 15 de março de 2017

Japão aprova lei que permite a abdicação do imperador

imperador Akihito

O imperador Akihito renunciará como única exceção
O parlamento japonês deverá aprovar na sessão atual um projeto de lei que permite ao imperador Akihito abdicar depois que os legisladores da oposição aceitaram a linguagem de compromisso e reduziram sua demanda por legislação permanente.

O texto que os dois lados concordaram deixa aberta a possibilidade de abdicações por futuros imperadores. A conta será submetida à dieta em torno do feriado do Golden Week do Japão da semana que começa no fim de abril.

O presidente da Câmara, Tadamori Oshima, e o presidente da Câmara, Chuichi Date, falaram com os representantes dos partidos governistas e da oposição na segunda-feira. Os dois disseram-lhes que um projecto de recomendação será apresentado quarta-feira, com uma versão final a ser compilado sexta-feira.

Depois de receber a recomendação dos legisladores, um painel consultivo nomeado pelo governo retomará as deliberações em 22 de março, com planos de apresentar sua recomendação final de política em torno de 20 de abril.

O PDL e o Komeito pediram uma legislação especial que se aplicasse apenas a Akihito. Mas os partidos de oposição citaram o Artigo 2 da Constituição, que estipula que as questões de sucessão devem seguir a Lei Imperial da Casa, argumentando que uma única exceção violaria esta cláusula.

Em consideração aos desejos da oposição, a coalizão governante concordou em acrescentar uma provisória suplementar à Lei Imperial da Câmara sobre o assunto, bem como excluir qualquer linguagem que exclua a possibilidade de futuras abdicações. À luz disso, o Partido Comunista Japonês eo Partido Social Democrata aliviaram suas posturas. Na segunda-feira, o PDL propôs esclarecer que a legislação especial deve ser considerada parte da Lei Imperial da Casa, entre outras medidas.

Dadas estas medidas, a legislação especial “poderia, em termos gerais, ser entendida como uma mudança para a Lei Imperial da Casa”, disse o secretário-geral do Partido Democrático, Yoshihiko Noda, aos repórteres na segunda-feira.

O Partido Democrata também insistiu em garantias de que nenhum imperador seria forçado a sair contra sua vontade. “Vamos incluir uma linguagem no projeto de lei que realmente refletem a vontade do imperador”, disse o vice-presidente do PDL, Masahiko Komura, durante as reuniões de segunda-feira.

Em resposta às demandas de que o Conselho da Casa Imperial deliberou sobre a abdicação, “é importante que o governo prometa ouvir as opiniões do conselho”, disse ele.

O Partido Democrata está redigindo seu próprio consenso partidário. A liderança espera obter a luz verde de Noda em uma reunião na quarta-feira.
Fonte: IPC Digital

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Japão planeja ter um novo imperador em 2019

imperador Akihito

O Governo do Japão está planejando permitir que o imperador Akihito se aposente e seja substituído pelo seu filho mais velho em 1º de janeiro de 2019, noticiou a imprensa local nesta quarta-feira (11).

O país agora trabalha em um marco legal para sua primeira abdicação em 200 anos.

Akihito, de 83 anos, expressou em agosto o desejo de abdicar depois de quase três décadas no Trono do Crisântemo, citando sua idade avançada e a debilitação da sua saúde.

Os principais jornais nacionais – Yomiuri, Asahi, Mainichi e Nikkei – citam fontes não identificadas dizendo que o príncipe herdeiro Naruhito, de 56 anos, sucederia seu pai no dia de Ano Novo de 2019.

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, se recusou a comentar o assunto em uma entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Embora as abdicações tenham ocorrido na longa história imperial do Japão, não houve nenhuma nos últimos 200 anos, e as leis vigentes que regem a Casa Imperial não preveem nenhum mecanismo legal para abandonar o trono.

Alguns estudiosos e políticos se preocupam que a questão da abdicação possa abrir uma caixa de Pandora e arriscar que os monarcas do Japão se tornem sujeitos à manipulação política. Segundo a Constituição, eles desempenham apenas um papel simbólico.

Os artigos também disseram que o governo planeja anunciar o nome oficial da era do reinado de Naruhito pelo menos seis meses antes para evitar confusão na vida diária.

Os anos no Japão são numerados tanto em termos da duração do reinado de um imperador, como de acordo com os anos do calendário ocidental.
Fonte: G1

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Distrito de Tsurumi e Vila Carrão assinam convênio de amizade

Intercâmbio foi formalizado entre a NPO ABC Japan e a Associação Okinawa de Vila Carrão

Tsurumi e Vila Carrão
Da necessidade veio a afinidade. O distrito de Tsurumi, em Yokohama (Kanagawa), tornou-se o lar de cerca de 1.100 brasileiros. Para estreitar ainda mais os laços, acaba de ser celebrado um convênio de amizade entre o distrito e o bairro da Vila Carrão, em São Paulo.

O intercâmbio foi formalizado entre a NPO ABC Japan e a Associação Okinawa de Vila Carrão num encontro realizado na sede da prefeitura do distrito de Tsurumi na última sexta-feira (4).

“Existe uma grande concentração de nikkeis aqui do distrito, oriundos da Vila Carrão. O convênio irá fomentar cada vez mais o relacionamento no aspecto cultural e também fortalecer os laços”, explicou o presidente da Associação Okinawa de Vila Carrão, Tério Uehara.

“Vamos nos mobilizar para que o convênio não fique somente no papel. Queremos aproveitar esse intercâmbio para melhorar a comunidade”, acrescentou a presidente da NPO ABC Japan, Michie Afuso.

Nessa reunião também estiveram presentes o prefeito do distrito de Tsurumi, Masakazu Soya, e o cônsul-geral do Brasil em Tóquio, o ministro Marco Farani.

“Será uma boa oportunidade para que se estabeleçam parcerias, sempre com o intermédio da prefeitura de Tsurumi, de modo a preservar a cultura de Okinawa e aproximar o Brasil e o Japão”, destacou o cônsul-geral.
Fonte: Alternativa

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Nissan e Renault fazem parceria com Microsoft para tecnologia de carros conectados

Montadoras planejam lançar mais de 10 modelos com tecnologia de direção autônoma até 2020
Painel da Nissan

Renault e Nissan Motor anunciaram na segunda-feira aliança com a Microsoft para desenvolvimento de serviços de computação em nuvem voltados para veículos, um passo em direção aos planos do grupo franco-nipônico para criar automóveis autônomos até 2020.


Os serviços, baseados no Azure, serviço de computação em nuvem da Microsoft, incluirão navegação avançada, manutenção preventiva e atualizações de software.


Renault e Nissan planejam lançar mais de 10 modelos com tecnologia de direção autônoma até 2020. Em janeiro, a aliança contratou o ex-executivo da Nokia, Ogi Redzic, para liderar os trabalhos na área de carros conectados.


As montadoras anunciaram na semana passada a compra da empresa de desenvolvimento de software francesa Sylpheo para oferecer novos serviços, incluindo transportes urbanos e compartilhamento de veículos.
Fonte: Alternativa

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Jornal japonês contém sementes e se transforma em planta após leitura

Jornal japonês

Você já imaginou quantas toneladas de papel de jornais são descartadas no mundo todo? Isso gera um impacto ambiental gigantesco se ele não tiver o destino correto. Pensando neste impacto que o jornal ‘The Mainichi’, do Japão, fez com que seus periódicos se transformassem em uma planta.

O material é totalmente reciclado e impresso com uma tinta 100% vegetal. Durante a fabricação, sementes de plantas são compactadas no papel e, depois da leitura, basta colocar as páginas em vasos e regar com frequência.

Após algum tempo uma nova planta crescerá e todo o processo poderá recomeçar. Legal, né?

Mas isso não é novidade exclusiva do Japão. No Brasil também já se utiliza esta técnica, como se vê no site da Papel Semente.

É possível transformar convites, cartões, tags, folders, faixas e embalagens em papel semente. Ou seja, nem tudo precisa virar lixo.
Fonte: IPC Digital

sábado, 6 de agosto de 2016

Hiroshima relembra 71° aniversário da bomba atômica e renova pedidos de paz

O primeiro-ministro Shinzo Abe e o prefeito de Hiroshima Kazumi Matsui fizeram declarações contra o armamento nuclear
Hiroshima

Na manhã deste sábado (6) Hiroshima relembrou o triste aniversário de 71 anos da explosão da bomba atômica na cidade, que vitimou cerca de 140 mil pessoas de forma direta ou indireta.

A explosão ocorreu as 8h15 da manhã do dia 6 de agosto de 1945, quando o Boeing B-29 Enola Gay, comandado pelos Estados Unidos, lançou a primeira bomba atômica do mundo sobre civis. A bomba de Nagasaki viria três dias mais tarde, culminando na rendição do Japão na Segunda Guerra Mundial.

Nesta manhã, o Parque Memorial da Paz de Hiroshima foi palco de um evento de homenagens e reflexões, que reuniu 50 mil participantes. Entre eles, milhares de sobreviventes e parentes de vítimas, conforme informou o jornal Yomiuri e a emissora NHK.

O prefeito de Hiroshima Kazumi Matsui fez um pronunciamento relembrando as palavras de consolo e paz do presidente americano Barack Obama, que visitou a cidade em maio deste ano e se tornou o primeiro líder dos Estados Unidos a conhecer Hiroshima.

“O mundo precisa agir com solidariedade e desenvolver uma forte paixão que seja capaz de por um fim no armamento nuclear”, disse o prefeito com convicção.

O primeiro-ministro Shinzo Abe, que também participou da cerimônia, reforçou o repúdio as armas nucleares. “O desenvolvimento de armas nucleares precisa ser proibido em nível mundial para que possamos garantir um mundo livre desta ameaça”, frisou.

Até março deste ano, o número de sobreviventes vivos das bombas de Hiroshima e Nagasaki somavam 174.080 pessoas, com idade média entre 80 e 86 anos. No último ano, o número teve queda de 9.439 pessoas de acordo com os dados oficiais do governo.
 Fonte: Alternativa

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Japão vai ter moeda de mil ienes em comemoração às Olimpíadas e Paralimpíadas 2020

 moeda de mil ienes

O Ministro das Finanças, Taro Aso, anunciou na terça-feira (12/jul), que ficou definido o lançamento da moeda de mil ienes em comemoração às Olimpíadas e Paralimpíadas Tokyo 2020.

O lançamento deverá ocorrer ainda este ano, cujo design e valor de mercado ainda não foram anunciados.
Ao olhar para trás, mais de 50 anos, a moeda lançada em 1.964 para as Olimpíadas realizadas no Japão, esgotou-se rapidamente no mesmo dia.

A reportagem da ANN foi conferir em quanto está avaliada uma moeda adquirida na época, depois de 52 anos. A variação é grande. Se usada e com riscos, vale cerca de 2 mil ienes, ou seja, o dobro. Se é nova vale 20 mil ienes, ou 20 vezes mais.
Fonte: IPC Digital

sexta-feira, 10 de junho de 2016

“Nihonium” é o nome do novo elemento da tabela periódica descoberto por cientistas japoneses

A União Internacional de Química Pura e Aplicada cedeu o direito de escolha de nome ao Japão. Está é a primeira vez que um país asiático decidiu o nome de um elemento químico.

Nihonium

Há 12 anos, o Instituto de Pesquisas Físicas e Químicas (RIKEN) da Universidade de Kyushu, obtiveram sucesso ao criar um elemento artificial utilizando aparatos experimentais de grande porte na cidade de Wako (Saitama).

O elemento em questão é o de número 113 na tabela periódica, e foi reconhecido oficialmente em dezembro do ano passado pela IUPAC, a qual cedeu o direito de escolha de nome ao Japão. Está é a primeira vez que um país asiático decidiu o nome de um elemento químico.

Em março deste ano, a RIKEN decidiu o nome e o símbolo do elemento e os enviou à IUPAC, a qual aceitou as ideias do grupo de pesquisas e as publicou em sua homepage na manhã de quarta-feira (horário japonês).

O nome escolhido foi Nihonium, uma homenagem ao Japão, que em japonês é “Nihon”. A abreviatura do símbolo é Nh.

O professor responsável pelo projeto, Morita Kousuke, e os alunos da universidade estão muito felizes pela descoberta.
Fonte: Portal Mie com NHK News

sábado, 21 de maio de 2016

Softbank quer ampliar repertório de funções do robô japonês Pepper

Empresa começou a oferecer um kit que permitirá que programadores desenvolvam novas tarefas 
robô Pepper

Os criadores japoneses de um robô estão pedindo às pessoas que sugiram ideias para o que seu humanóide pode fazer e estão oferecendo um conjunto de desenvolvimento de software para programadores exercerem a criatividade.

O robô, conhecido como Pepper, está vendendo rápido e já pode rir e servir café. Ele está sendo utilizado como garçom, vendedor e representante de serviços ao cliente em cerca de 500 empresas no Japão, incluindo Nestlé, Mizuho Bank e Nissan.

Agora, seus criadores da SoftBank Corp começaram a oferecer um kit, Pepper SDK para Android Studio, que permitirá que programadores desenvolvam novas tarefas para ele.

A oferta acontece antes do pré-lançamento do robô nos Estados Unidos em julho.

Pepper, que custa 198 mil ienes (equivalentes a 1.800 dólares), tem encontrado alta demanda no Japão. Os seis primeiros lotes do robô, cada um com 1 mil unidades, foram vendidos em menos de um minuto.
Fonte: Alternativa com Reuters

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Sony completa 70 anos; conheça a trajetória da empresa

Sony completou 70 anos

Uma das maiores empresas de tecnologia da atualidade, a Sony completou 70 anos no último dia 7. Sete décadas depois de seu nascimento, em 1946, na capital Tóquio, a companhia conquistou uma legião de fãs.

A primeira invenção, no entanto, passa longe dos smartphones, videogames e televisores que hoje são exibidos com destaque nas lojas de eletrônicos. A aposta inicial era um leitor de fita magnética que foi bem aceito em escolas e universidades locais.

Sony

Depois disso, já em 1950, a empresa focou esforços para a produção do “Soni-Tape”, um mecanismo que permitia a gravação de fitas cassete. Quatro anos depois, foi a vez do primeiro transistor do Japão e o primeiro rádio transistor chegarem ao mercado.

Os rádios fizeram com que a marca fosse elogiada pela inovação tecnológica entregue na época. A década seguinte marcou a chegada da primeira televisão transistorizada (1960), do primeiro vídeo-gravador doméstico (1964), do primeiro equipamento portátil de vídeo tape (1967) e do primeiro relógio digital (1968).

 fitas cassete

Os anos 1970 trouxeram o vídeo-gravador a cores (1971) e os gravadores betamax (1975). Já durante a década de 1980, a fabricante lançou sua câmera de vídeo e o CD player portátil no biênio 1983-1984. O micro-disquetes de 3.5 polegadas só chegou em 1989.

Atualmente, a companhia trabalha com mais intensidade em algumas frentes específicas, como smartphones, tablets, notebooks, videogames e televisores.
Z5
No primeiro, a empresa é uma das quatro principais fabricantes do quesito high-end ao lado das também asiáticas Samsung e LG, e da norte-americana Apple. O modelo mais avançado lançado até hoje pela Sony é o Z5, que se destaca por ser o primeiro telefone com tela 4K.

 PlayStation

Nos videogames, a empresa é dona da marca PlayStation e disputa com a Microsoft, dona do Xbox, pela soberania do setor.
Fonte: Olhar Digital